Hillsong logo

 

Hillsong apoia gays?R ecentemente, a internet foi invadida pela notícia de que a igreja Hillsong estava aceitando um casal gay na liderança da igreja.

Vários tabloides sensacionalistas do mundo gospel abraçaram esta declaração sem a devida verificação e apressaram-se em contribuir com uma agressiva campanha de difamação contra esta igreja e seus líderes. O objetivo deste artigo é ajudar a esclarecer esta questão.

Tudo começou quando o homossexual Josh Canfield, participante de um reality show americano, declarou ao site playbill.com que ele era um dos diretores do coral da igreja e que também cantava no ministério de louvor. Josh afirmou ainda que seu parceiro também cantava no coral.¹

Para complicar o assunto, o Pr. Carl Lentz, da Hillsong Nova York, em uma aparição no famoso programa de entrevistas de Katie Couric, recusou-se a tomar uma posição pública sobre questão gay, fazendo declarações como “nosso compromisso é com o amor, e em tudo mais temos o diálogo” ². A falta de uma clara posição do Pr. Carl foi usada pela mídia secular e cristã como uma forma de aprovação da causa gay.

Juntas, as declarações de Josh Canfield e Carl Lentz foram amplamente usadas pela mídia secular e cristã acusando a igreja Hillsong de aceitar homossexuais no ministério, o que se provou uma inverdade caluniosa, esclarecida por Brian Houston, o pastor presidente do ministério Hillsong.

Aqui está a declaração de Brian Houston:

“Eu desejo corrigir relatos de que a igreja Hillsong tem um ‘casal assumidamente gay dirigindo um coral’ na nossa igreja de Nova York. A posição da Hillsong sobre homossexualismo não mudou e é consistente com as Escrituras. Como já declarei anteriormente, eu creio que os escritos de Paulo são claros neste assunto. Há vários meses atrás, um de nossos diretores de coral fez uma declaração pública inesperada sobre seu envolvimento com um homem que cantava algumas vezes no coral, e esta declaração foi uma completa surpresa para nós também. Meu entendimento é que eles não estão mais envolvidos no ministério ou qualquer outro papel de liderança desde então. Tendo dito isto, ainda os amamos e reconhecemos que eles – como todos nós – estão em uma jornada, e nosso papel como igreja e ajudá-los nesta jornada com graça e compaixão.” ³

Em outras palavras: a liderança não sabia que seu diretor de coral tinha um relacionamento gay e assim que ficou sabendo, ele e seu parceiro foram destituídos de suas funções.

Desta situação extraímos duas reflexões importantes:

Muito cuidado com os julgamentos!

Vivemos em uma época em que informações viajam em grande velocidade e é possível espalhar notícias caluniosas e difamadoras com uma rapidez nunca vista antes. Assim, é importantíssimo verificar a fonte de qualquer informação e principalmente ouvir os dois lados antes de passar notícias adiante. Lembremo-nos da séria advertência bíblica: com a medida com nós julgarmos, seremos também julgados (Mt 7:1-2).

Como agir com a questão gay?

A Bíblia é clara em apontar que o casamento é entre um homem e uma mulher (Gn 2:24, Mt 19:5, Mc 10:7) e em listar a prática homossexual como pecado (Lv 18:22, Rm 1:21-31, 1 Co 6:9-10).

Também é importante lutarmos contra os avanços sociais do ativismo gay. Dizer que o movimento gay é uma minoria é uma falácia. Eles são um grupo bem organizado, apoiado pela mídia, pelo governo brasileiro e com altíssimos investimentos de celebridades e empresas. Além do mais, este movimento pretende influenciar leis e a cultura popular para impor um modo de vida contrário a moral judaico-cristã. Este movimento cultural precisa ser combatido de maneira militante pela Igreja de Cristo.

Entretanto, jamais podemos esquecer que lutamos contra os valores culturais do ativismo gay, mas não contra pessoas. Jesus nos ensinou a amar e buscar todas as pessoas com compaixão e misericórdia, quaisquer que sejam seus pecados ou estilo de vida. Assim, é preciso manter as portas das nossas igrejas e os nossos corações abertos para que todas as pessoas possam buscar e encontrar a Deus.

Então temos duas mensagens que não podem ser contraditórias: o combate aos valores do ativismo gay e prática da misericórdia e compaixão para com todos os homossexuais. Como conciliar as duas mensagens? Os dias em que vivemos demandam uma resposta a esta pergunta, que precisa ser bem pensada e elaborada, por isso, deixo esta importante questão para você e sua igreja responderem tanto diante da sociedade quanto diante de Deus.

Por Rubens Cunha

www.missaocrista.org.br


Referências externas:

[1] http://www.playbill.com/news/article/broadway-boyfriends-of-survivor-get-engaged-on-stage-plus-video-340487/print.

[1] http://www.charismanews.com/us/42186-nyc-megachurch-pastor-believes-sexuality-shouldn-t-be-discussed-in-public-forum

[1] http://hillsong.com/media-releases/hillsong-church-statement-by-senior-pastor-brian-houston/

© 2015 Missão Cristã de Evangelismo Mundial | Todos os direitos reservados.